top of page
  • Foto do escritorJornalista Adriana Dias

Segurança no campo é projeto da PM e Sinrural

Que o campo é pura riqueza todos já sabem, mas, nos últimos anos parece que os criminosos também descobriram esta realidade e passaram a causar uma grande onda de violência e roubos contra a população da zona rural. Roubam equipamentos caros, animais e até mesmo grãos. Pensando neste problema que afeta também a população rural dos municípios que são patrulhados pelo 12º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais, dentre eles está Passos, vai ganhar, em breve, mais um aliado importante no combate à violência. É o Projeto de Segurança Rural na 18ª Região da PM, com sede em Poços de Caldas, que prevê um sistema operacional informatizado com conexão, em tempo real e 24 horas por dia, entre moradores das propriedades no campo e os militares em ação.


O comandante da 266ª Companhia Tático Móvel em Passos, tenente Edno Israel Machado, explicou que o ponto principal do projeto é a comunicação imediata entre os ruralistas e a PM. A ferramenta a ser utilizada é uma plataforma que poderá ser acessada por quem possui fazenda, sítio ou chácara e que vai manter armazenadas informações dos proprietários, principalmente os bens móveis e imóveis, como localização, quantidade de pessoas que moram no local, animais, veículos, maquinários agrícolas, equipamentos em geral e material de que pode ser alvo dos criminoso.


“Acredito que até meados deste ano estejamos oferecendo o suporte desejado por qualquer morador ou trabalhador campestre. A PM tem parceiros importantes como o Sindicato dos Produtores Rurais (Sinrural), prefeitura, que inicialmente vão nos ajudar no cadastramento de cada propriedade, e em casos de dificuldades extremas, os próprios militares da Patrulha Rural é quem vão atrás das informações. Deixo bem claro que os dados mais relevantes e captados pela polícia junto aos ruralistas, serão mantidos em sigilo absoluto, em observância à Lei Geral de Proteção de Dados, porém a localização, nome da região, do imóvel e outros, serão do conhecimento de todos os policiais para facilitar o trabalho dos militares nos casos de eventuais atendimentos emergenciais”, comentou o tenente.




Dia primeiro deste mês, o comandante da 18ª Região da PM, Coronel Jardel Trajano de Oliveira Gomes, promoveu em Poços, o encontro com prefeitos, vices, dirigentes ruralistas, vereadores, secretários municipais de agricultura e outras autoridades dos 55 municípios pertencentes aos batalhões local, Passos, São Sebastião do Paraíso e Alfenas, para o lançamento do projeto. Além do tenente Edno, o subcomandante do 12º BPMMG, major Leonardo Abdala Guimarães; presidente do Sinrural, Darlan Esper Kallas; e o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Sebastião Domingos, o Nenem da Manoela, também estiveram presentes.

Os dois representantes civis de Passos voltaram do Sul do estado entusiasmados com o que ouviram do coronel Trajano e do prefeito de Poços, Sérgio Azevedo, ressaltando o sucesso do projeto implantado no município. “A proposta é interessante e necessária. O Sinrural está na maior expectativa de que dará certo em toda a área do 12º BPMMG, e até mesmo no estado, porque aos poucos ele vai sendo implantado conforme as adesões. Eu coloquei o sindicato à disposição dos militares para agilizar o trabalho. É a tecnologia a serviço da segurança e tranquilidade também do homem do campo”, afirmou Darlan.

“Diante da situação que vivemos hoje, é quase impossível impedir a ação criminosa na cidade e também na zona rural, mas aumentando o poder de vigilância graças aos militares, e vamos inserir todos os produtores no contexto geral, incluindo os poderes constituídos, Sinrural e a Polícia Civil. Não há dúvidas que vão diminuir e muito os assaltos, roubos e furtos”, acrescentou.

“Não tem como não dar certo o plano. Pelo que ouvi no encontro, vai baixar bastante, principalmente a quantidade de furtos de animais como bovinos. O programa vai unir os ruralistas de tal forma, que dificilmente os bandidos terão sucesso em seus atos delituosos”, acentuou Neném da Manoel.

Para o secretário, há anos, houve o êxodo rural e muita gente veio morar na cidade por causa dos estudos dos filhos e do baixo ganho com a agricultura e pecuária, mas hoje está ocorrendo o contrário. “Particularmente, como uma pessoa que nasceu na roça, veja o investimento aumentando a cada dia na comprar de de um pedaço de terra para plantar o café, soja, como exemplos, sem esquecer do turismo, setor que cresce sem precedentes a cada dia com construção de pousadas, hotéis, e áreas de lazer, porque nossa região é privilegiada pelas belezas na natureza que Deus nos oferta”, pontuou.


6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page