top of page
  • Foto do escritorJornalista Adriana Dias

Crédito Rural representa 70%dos financiamentos do Banco do Brasil

O agronegócio é um dos principais pilares da economia no Brasil e quanto a isso não há questionamentos. Os produtos que vêm do campo geram emprego e riqueza para o país. E para que este negócio gire, é preciso que se tenham linhas de crédito para o sucesso do agro. As linhas de financiamento funcionam e trazem impactos positivos para o produtor e para as agências financiadoras.


Em Passos, somente com os programas Pronaf, Pronamp, Funcafé e linhas de créditos especiais, os produtores rurais representam 70% dos financiamentos totais feitos na agência do Banco do Brasil. São mais de R$200 milhões em 2021, o que é um número forte, responsável pelo maior impacto positivo ao banco entre pessoas físicas, empresas e o agro. Esta parceria já dura anos e tem nos últimos tempos a parceria do Sindicato Rural dos Produtores de Passos (Sinrural) fazendo uma ponte entre os produtores e o banco.



Nivaldo Miranda Baía, gerente geral da agência do Banco do Brasil em Passos
Nivaldo Miranda Baía, gerente geral da agência do Banco do Brasil em Passos

Conforme o gerente geral da agência do BB em Passos, Nivaldo Miranda Baía, O crédito rural é um tipo de financiamento destinado a produtores individuais, associações e cooperativas. Essa ferramenta tem o objetivo de fomentar a produção agrícola. “Os recursos podem ser usados de três maneiras, que são para custeio: aquisição de insumos e outras despesas relativas ao ciclo produtivo; investimento: obras de irrigação, reformas na propriedade rural e compra de equipamentos; e comercialização: proteção de preços, estocagem e outras ações relacionadas à compra e venda dos produtos agrícolas. Os produtores podem tanto ir ao Sindicato quanto virem diretamente na agência para apresentar suas demandas”, explicou Nivaldo Baía.


O produtor pode procurar o Sinrural buscando informações por exemplo para a produção de uma lavoura de café. “O sindicato nos repassa, caso tenha alguma dificuldade em vir ao banco. Vamos entrar em contato. Esta ponte feita pelo sindicato é vantajosa pois desta forma o produtor não precisa ficar aqui esperando, ou sem saber quais são os documentos que deve trazer. Detalhamos e explicamos caso precisem fazer algum projeto, se precisam procurar ajuda de assistência técnica. Nós analisamos as linhas de créditos abertas para aquele produtor e quando linha de crédito está disponível, é calculado o limite de crédito do produtor, com base na documentação apresentada e na produção agropecuária. O passo seguinte é fazer o projeto. Tanto na fase de preparo da documentação quanto na formatação do projeto o produtor conta com assistências técnicas de parcerias do banco, produtores e sindicato rural. Importante ressaltar que todas as linhas de crédito estão abertas”, informou.


Questionado sobre o adimplemento do produtor agro, Miranda Baía contou que são excelentes pagadores. “A menor inadimplência é a do setor agro, pois o produtor rural de todas as atividades é a que conta com maior prazo no seu negócio. A pessoa física pode inadimplir porque às vezes o valor que pegou não está vinculado a um projeto. As empresas podem enfrentar momento de grande dificuldade e até mesmo fechar. Enquanto o agro sempre continua, dificilmente um produtor rural para a sua atividade. É uma área que tem continuidade”, salientou.


O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) foi criado com objetivo de fortalecer e valorizar o agricultor familiar, que desenvolve sua atividade com sua força de trabalho e de sua família. Já o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) tem por objetivo promover o desenvolvimento das atividades rurais de produtores de médio porte, gerando assim um aumento da renda familiar e a geração de empregos no setor rural, ajudando, assim, o crescimento do campo.


E, o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) foi criado para atender indústrias torrefadoras de café, indústrias de café solúvel, beneficiadores, exportadores e cooperativas de cafeicultores que exerçam as atividades de beneficiamento, torrefação ou exportação de café.

10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page